terça-feira, 13 de novembro de 2012

MÃE CLARA



                                       


                No pretérito dia 1 de Novembro, dia de Todos os Santos, desloquei-me ao cemitério para prestar homenagem aos que já partiram.

                E recordei-me do dia em que ali tínhamos ido acompanhar a minha sogra à sua última morada.

                Para a missa de corpo presente, tinha escrito algumas palavras de derradeira homenagem:
             

                “Hoje o céu está em festa com a chegada de uma Mulher plena de bondade. E também está mais estrelado, mercê da felicidade do reencontro de dois seres magníficos, aos quais, nesta Terra, foi dado viver, durante  mais de 60 anos, uma linda história de amor, que, agora, se eterniza.

              Senhora de um coração enorme, a transbordar de generosidade e amor ao próximo, e dona de um poder de resignação ímpar e de uma inexcedível capacidade de perdão, Mãe Clara foi convocada por Deus, que, assim, a libertou do sofrimento só nesta vida consentido.

              O facto de A sabermos, agora, sentada à direita de Deus Pai Todo Poderoso, solta das amarras da dor da separação do Seu Amado Esposo e dos entes mais queridos que lhe tinham levado a dianteira, deve encher-nos de júbilo e confortar-nos, transformando as lágrimas de dilacerante dor dos seus filhos em lágrimas de incontida alegria.

               Estou certa que, boa Mãe como sempre foi, iluminará, agora, do alto dos céus, o trilho de cada um dos seus filhos e netos.

               Bem haja, Mãe Clara, por tudo! E tudo foi tanto! Que todas as constelações do firmamento brilhem sempre por Si e para Si! Que todos os Anjos e Santos aconcheguem sempre a Sua Alma com um manto de Luz Divina!

               E perdoai-me, Senhor, por nunca ter tido capacidade para ofertar a este espírito de luz, a devida atenção e o carinho merecido.”
 

               Antes da missa, dirigi-me, na companhia do meu marido, à sacristia, a fim de pedirmos ao celebrante que me concedesse autorização para, durante a missa, ler aquelas breves palavras.

              O Sr. Cónego respondeu categoricamente:

                - Não! Isso não! Liturgia é uma coisa, sentimentos pessoais é outra! Durante a missa, não!

                O meu marido ainda sugeriu:

                 - Talvez no cemitério, durante a cerimónia religiosa…

                 Irredutível, o Sr. Cónego negou, uma vez mais, e sugeriu que o texto fosse lido, no cemitério, fora da cerimónia religiosa, depois do seu encerramento.

                 Sem alternativa, no cemitério, findo o ritual religioso, o  celebrante já de costas, comecei a ler.

                 Confesso que a leitura naquelas circunstâncias perdeu muito do seu verdadeiro sentido e da sua riqueza espiritual, na medida em que,   naquela ocasião, o representante de Deus na Terra já tinha deixado os seus fieis, que ali se haviam reunido precisamente com a finalidade de a sua voz ser por Ele ouvida. 

                Então, não é verdade que os fieis estavam reunidos, em comunhão com Deus, representado pelo sacerdote?

                 E também não é verdade que aquela reunião só fazia sentido porque todos os fieis acreditavam que Deus os estava a ouvir?

                  Não sei como se passam as coisas nas outras igrejas católicas espalhadas pelo mundo, mas têm-me chegado sentidos relatos de pessoas que estiveram presentes noutras cerimónias fúnebres, em igrejas católicas de Portugal, onde foram lidos trechos de homenagem ao defunto, escritos por familiares e amigos, sendo-me, concomitantemente, transmitido apreço por tais manifestações públicas.

                    Sendo a Missa ou Celebração da Eucaristia a principal celebração religiosa da Igreja Católica, o ponto máximo da comunhão dos fieis com Deus, entendo que as palavras de homenagem à minha sogra se enquadravam perfeitamente naquela missa em que o celebrante rogava a Deus pela sua alma.

                  E naquele dia de despedida da minha sogra, fiquei a pensar se não seria já altura de todos os elementos do Clero, sem excepção, mostrarem maior abertura na celebração dos actos litúrgicos, numa atitude que Cristo saudaria.

                 O que, na ocasião, me afagou a alma, foi ter tido a certeza absoluta de que, se eu tivesse pedido a Cristo autorização para ler o texto na missa, ele teria, sem qualquer hesitação, e com um sorriso inundado de luz divina, respondido que sim.

               
                                                                       Texto e fotografia da Isabel Maria.

34 comentários:

  1. Querida Isabel

    Obrigada por ter trazido até nós essa homenagem à sua sogra, 'MÃE CLARA'. E, ao mesmo tempo, dar-nos conta irredutibilidade de um ministro de Deus que deveria ser o primeiro a apoiar estas manifestações de apreço e amor para quem já partiu e que, de conformidade com os Ensinamentos da Igreja, cremos estar num Lugar Feliz.
    Ainda bem que isto não se passa com todos os padres, pois, da minha parte devo dizer que foi permitido a uma das minhas irmãs ler algumas palavras minhas durante a celebração da missa, quando da morte da minha mãe.
    Enfim,deveria haver acordo nesse sentido de modo a não acontecer discrepâncias destas e o mesmo fosse permitido em todas as igrejas ou funerais.

    Apresento-lhe os meus pêsames. Acredito que as suas palavras foram ouvidas, mesmo sendo ditas nas circunstâncias que descreveu.

    Beijinhos.

    Olinda

    ResponderEliminar
  2. Minha Querida
    Emocionei-me com a tua homenagem tão sentida e que me mostrou a tua alma tão bonita.
    Claro que Jesus te daria com um sorriso, toda a sua permissão. Felizmente que não há padres-donos assim, em todo o lado e, por outro lado e ainda bem, começa a ser habitual ouvir-se música adequada, poesia e palavras ternas como as tuas.
    Em Quelimane, em funerais cristãos, era habitual cantarmos e darmos testemunho sobre as virtudes de quem estávamos a velar. É esta a comunicação dos santos como dizemos no
    Credo. É de lamentar que sejam atitudes como esta do "senhor padre" que afugenta muita gente da Igreja.
    Mas a Mãe Clara está num lugar luminoso na casa do Pai e vela por toda a Família.
    Mil beijos com muito e muito carinho.
    Graça

    ResponderEliminar
  3. Essa maravilhosas palavras foram ouvidas independentemente do lugar, mas sem dúvida que não dá para entender essa postura! actualmente os novos padres têm uma mentalidade já mais arejada a todos os níveis, pelo menos aqueles que me é dado conhecer.
    Gostei de a ter de volta, vou passando por aqui e fico com pena do vazio...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Fiquei muito emocionada com a tua linda homenagem à tu Mãe Clara, mas fiquei profundamente revoltada com a atitude do Padre catolico. Infelizmente temos muitos assim, mas, para que não fiquemos totalmente desacreditados desses que se dizem representar Jesus na terra vou-te contar o que já o fiz há muito no Começar de novo. Quando foi da celebração da missa para agradecer os 80 anos do meu Pai, ficamos espantados e muito muito agradecidos pela homenagem que o Padre católico fez ao meu Pai, lendo na homilia uma mensagem de Chico Xavier ( espírita). Para esse padre não interessava a religião que o Chico professava, mas sim a mensagem. Vou transcrevê-la aqui para veres como é bela

    "A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos.

    A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.

    A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos...

    TUDO BEM!

    O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum...
    é amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos.

    Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.
    Chico Xavier

    O que interessou ao padre foi transmitir a todos que não podemos amar mais ou menos. O meu pai não é uma pessoa mais ou menos...entrega-se por inteiro a tudo o que faz.Esse padre a que te referes é uma pessoa mais ou menos, não sabe amar por inteiro e, claro que se perguntassemos a Jesus, ele com certeza pediria a cada um que fizesse uma homenagem sentida aos seus ente queridos. Que interessa o resto, aquelas cerimónias todas? Muito mais importante é o que sai do coração de cada um; isso sim é uma verdadeia Prece. Beijinhos, Isabel e podes crer que a tua Mãe Clara ouviu a tua mensagem. Um beijinho, amiga e fica bem.
    Emília

    ResponderEliminar
  5. Talvez não seja por acaso que a Igreja Católica está a perder cada vez mais fiéis.Torna-se por vezes absoleta a forma irredutível como encara certos problemas da sociedade.
    Não foi este o caso, mas um repartir delaços de afeto, ainda mais por uma pessoa que merece perante Deus e os Homens a divulgação da sua santidade.Valha-nos as diferenças: não foi o que aconteceu com uma missa a que assisti e que foram lidas palavras lindas de saudade. Amor é isto tão somente: repartir alegrias afetos, angustias.
    Linda esta sua homenagem.
    E que na reunião eterna seja onde se encontra mais complacência.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Minha querida Isabel,

    Comovente a tua carta e tua sogra deve ter ficado muito agradecida pelas belas e afetuosas palavras...o mais importante era dizê-las em sua homenagem e mostrar o que trazia no coração.E isto você fez com maestria.
    Obrigada pela visita e pelo carinho lá no Tudo a Ver.
    Bjsssssss,
    Leninha

    ResponderEliminar
  7. Tenho a certeza que sim .
    Mas , também , tenho a certeza , que essas lindas palavras seriam ouvidas pela sogra da Isabel , se estivessem apenas no coração .Felizmente que há códigos diferentes para o mundo do físico e para o da alma .

    Um beijo , Isabel ,
    Maria

    ResponderEliminar
  8. Isabel a sua homenagem à sua sogra Clara foi linda e embora tenha sido lamentável que o Sr. Padre não tenha deixado a isabel ler, o mais importante é que essa mensagem veio do fundo do seu coração e por isso tem um valor imensurável aos olhos de Deus.
    Pessoalmente já assisti a vários funerais em que foram feitas homenagens às pessoas falecidas pelos seus familiares.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  9. Que lida homenagem à Mãe Clara, sua sogra. Que importa que o sacerdote, não permitiu que fosse feita a leitura junto aos atos litúrgicos do funeral. Há sacerdotes intransigentes em toda parte do mundo, na Igreja Católica. O "tal" padre nada entendia de sentimentos...quis seguir à risca a formalidade do ritual.
    Caso aquele padre tivesse permitido, naquela altura, a leitura,talvez hoje não tivéssemos a oportunidade de ver esse seu belo texto aqui compartilhado. Aqui no Brasil, vê-se de tudo: há os chamados conservadores e os liberais.
    O importante de tudo é, que certamente, Mãe Clara aprovou as suas lindas e carinhosas palavras, Isabel.

    Um afetuoso abraço, querida amiga.
    Lúcia

    ResponderEliminar
  10. Passei para te deixar uma palmeira cheia de beijos e os Bons Sinais com os reflexos doirados do sol!
    Mil beijos carinhosos.
    Graça

    ResponderEliminar
  11. Hoje venho convidar-te a visitar o meu blog
    HISTÓRIAS DE ENCANTAR
    , onde, excepcionalmente, acabo de publicar um post.
    Desde já fico muito grata.
    Beijinhos

    PS - No próximo dia 14 haverá post novo em A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
  12. Minha amiga como a minha próxima semana vai ser muito dificil em termos profissionais, e como não sei se terei tempo de passar pelas casas virtuais dos amigos, passo hoje especialmente para desejar um Natal muito Feliz.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  13. Isabel venho agradecer a sua , sempre , simpática visita , bem como os votos de um Santo Natal , que retribuo com carinho .

    Um beijo e uma boa semana ,
    Maria

    ResponderEliminar
  14. Minha Querida
    Fui buscar uma estrela do céu de Moçambique para a colocares na tua árvore de Natal. Trouxe pirilampos para a sua iluminação e numa caixa de folha de palmeira, armazenei um pouco de calor que vai com uma fita vermelha de veludo cheia de beijos, carinho e saudades. No verso, leva os votos de um Feliz Natal e de um 2013 com muita, muita esperança que todos precisamos muito!
    Beijos zambezianos.
    Graça

    ResponderEliminar
  15. ‎.•*´¨`*•.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•★♥ Hoje venho desejar saúde, paz, amor e muita alegria... FELIZ NATAL!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Isabel, embora eu pense que Natal tem de ser todos os dias, não podia deixar de vir cá dar-te um beijinho muito especial e agradecer-te todo o carinho que sempre me dedicas. Quero desejar-te Um Natal alegre, com saúde e muita paz junto dos que te são queridos. Quanto ao 2013 espero sinceramente que ele traga para todos nós, principalmente uma mudança de mentalidades no ser humano, pois sem essa mudança não há maneira das coisas melhorarem. Que sejas muito feliz, amiga, não só agora mas sempre. Fica bem e BOAS FESTAS

    ResponderEliminar
  17. Querida Isabel

    Venho desejar-lhe um Bom Natal, com muita saúde e alegria.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  18. Querida isabel,

    Em hora tardia, mas ainda na Noite de Natal, vim deixar votos de Boas Festas na companhia de sua família.

    Um abraço fraterno,

    ResponderEliminar
  19. Isabel passei para desejar um excelente Ano Novo.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  20. Isabel , que o novo ano seja portador daquilo que considera mais importante para a sua vida .

    Um beijo ,
    Maria

    ResponderEliminar
  21. Boa noite, querida Isabel

    Vim dizer-lhe um 'Olá'.
    Um bom fim de semana.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  22. Isabel agradeço a sua visita .
    Espero que se encontre bem .
    Os seus escritos fazem falta .

    Um grande abraço ,
    Maria

    ResponderEliminar
  23. Olá amiga. Hoje vim aqui para lhe deixar um beijinho e os meus sinceros votos de que esteja tudo bem. Tenho sentido a sua falta, mas espero que seja só por falta de tempo. Fica bem, amiga e até breve. Beijinhos mil.
    Emília

    ResponderEliminar
  24. Como está, Isabel?
    Tenho saudades, de você, e muita! Deixo-lhe o meu afetuoso abraço, desejando que tudo esteja bem.
    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  25. Querida Isabelinha
    Tenho saudades tuas. Há tanto tempo que não te vejo!
    Espero que a tua ausência se deva apenas a falta de tempo, e não a quaisquer outros motivos.
    Se puderes... diz qualquer coisa.

    Um beijinho muito GRANDE

    ResponderEliminar
  26. Minha Querida
    Estranho o teu silêncio e as saudades são cada vez maiores.
    Quando puderes, dá-me um "Olá" na brisa da tarde que é doce e suave.
    Espero por ti...para irmos molhar os pés ao Índico!
    Mil beijos com muito carinho.
    Graça

    ResponderEliminar
  27. Olá Isabel. Já sei que é só por falta de tempo que não tens aparecido e isso deixa-me feliz, pois se fosse por motivos mais sérios seria triste para todos nós. Passo, por isso para te deixar um beijinho de boa noite e desjar-te muita luz em todos os teus dias. A chuva e o frio hoje têm sido muitos, mas, a luz está sempre lá, é só procurar. Fica bem, amiga e até breve. Beijos.
    Emília

    ResponderEliminar
  28. Beijinhos, Luz de África!

    Votos de Felicidade, muita Saúde e Alegria, para si e Família.

    :)

    Olinda

    ResponderEliminar
  29. Querida Isabelinha

    Venho apenas desejar que a tua Páscoa seja muito feliz, cheia de Luz e muito Amor.

    Beijos e carinhos meus.

    ResponderEliminar
  30. Minha Querida
    Venho saber de ti...como te sentes nesta primavera que o calendário anunciou mas que o tempo não deixa brilhar...Mais saudades do meu calor zambeziano..
    Espero que este advento tão demorado, possa valer a pena...Acredito que sim.
    Dá-me notícias tuas...nem que seja com um "Olá"
    Que tenhas uma Páscoa doce, tranquila e feliz.
    Um beijo molhado pelo Índico.
    Graça

    ResponderEliminar
  31. Querida Isabel

    Votos de uma Santa Páscoa, ao lado da Família, com muita saúde e alegria.

    Beijinhos meus e da filhota. :)

    Olinda

    ResponderEliminar
  32. Lembro-me sempre de você, Isabel querida,...com saudades!
    Trago-lhe hoje o meu abraço, com desejo de um Domingo de Páscoa pleno de alegria, junto à sua família.

    Beijo afetuoso,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  33. Minha Querida
    Chego aqui sempre na expectativa que tenhas escrito alguma coisa... Sei que tens muito trabalho mas...olha o tempo a ficar quente, luminoso...e à noite, no meu quintal sinto aqueles cheiros longínquos como se a terra estivesse a arder... e no céu, uma lua dengosa que se vai enchendo de sonhos...como nós!! Dou por mim a falar-lhe...acreditas? E ela conta-me coisas do meu país e sinto a brisa do rio e o arquejar lento das palmeiras....
    As noites, estão lindas Isabel...aproveitemos!
    Mil beijos e uma semana cheia de encantamentos...
    Graça

    ResponderEliminar
  34. Supus que esse tempo já tinha passado. Lamento que não tivesse podido dizer as suas doces palavras :-(
    Lá fora, é precisamente nas igrejas que amigos e familiares fazem as suas homenagens aos entes querido que partem.

    Mas, a intenção estava lá, e 'Mãe Clara' encheu seu coração de alegria.

    Um beijo

    ResponderEliminar